Unidades da Funase passam a ter normas de prevenção ao coronavírus para visitantes

A Fundação de Atendimento Socioeducativo (Funase) está intensificando as medidas de prevenção à covid-19, infecção causada pelo novo coronavírus. A partir desta quarta-feira (18), primeiro dia de visitas desta semana na maioria das 23 unidades socioeducativas do Estado, o público que comparecer à instituição será orientado a não entrar nas instalações se apresentar sintomas de gripe ou resfriado ou se fizer parte do grupo de risco para agravamento da doença – pessoas com mais de 60 anos, gestantes, recém-nascidos e doentes crônicos, por exemplo. As recomendações serão feitas por servidores situados nos acessos. Cerca de dois mil cartazes e folhetos informativos também estão sendo distribuídos entre visitantes e funcionários da fundação.

As ações foram determinadas pela Portaria Interna 172/2020, assinada pela presidência da Funase e encaminhada às unidades. O documento ainda prevê o reforço de ações educativas sobre hábitos de higiene. Uma atenção especial está sendo dada à orientação de jovens em semiliberdade, que têm direito a voltar para casa nos fins de semana. Foi autorizado que o contato telefônico com familiares ocorra com mais frequência. Visitas intermunicipais serão evitadas por 15 dias. Também estão sendo adotadas medidas para assegurar o abastecimento e elevar a oferta de insumos de limpeza. Por fim, a portaria reforça a importância de avaliação imediata, por profissionais de saúde, de socioeducandos que apresentarem sintomas compatíveis com os da covid-19.

“É um público que não está no grupo de risco no que se refere à idade, mas que é atendido em espaços com alojamentos e atividades coletivas, com privação ou restrição de liberdade, o que demanda cuidados específicos. Além disso, nos dias de visitas aos socioeducandos, recebemos um grande número de pessoas nas unidades da Funase. Por isso, com a publicação da portaria, normatizamos essas recomendações e nos manteremos atentos a outros procedimentos que vierem a ser adotados pelo Governo do Estado a partir da avaliação diária do cenário de propagação do vírus. Enfatizamos que não se trata de proibição, mas de uma orientação”, afirma o secretário de Desenvolvimento Social, Criança e Juventude de Pernambuco, Sileno Guedes.

Atualmente, a Funase atende 1.034 socioeducandos em internação provisória ou nos regimes de internação e semiliberdade em todo o Estado. Segundo a presidente da Funase, Nadja Alencar, a instituição está tomando as providências necessárias para atravessar o cenário de pandemia. “Seguindo as recomendações do Ministério da Saúde e da Secretaria Estadual de Saúde, estamos agindo com seriedade e sensibilidade. Há alguns socioeducandos, por exemplo, que têm nos avós seu único laço familiar, sua visita mais frequente ou única. São situações delicadas para pessoas que já vivem em privação de liberdade. Isso demanda de todo o corpo técnico da Funase um intenso processo de diálogo, no nível de orientação, que agora está sendo reforçado”, explica.

Comentários do Facebook