Mendonça parabeniza o Ministério Público Federal por denunciar à Justiça Federal envolvidos na compra ilegal de respiradores no Recife

Autor da denúncia de compra suspeita de respiradores pulmonares para a Covid_19 pela Prefeitura do Recife, apresentada ao MPF, a CGU e ao TCU, o ex-ministro, Mendonça Filho, comentou a denúncia feita pelo Ministério Público Federal à Justiça Federal contra o secretário de Saúde e cinco assessores do ex-prefeito Geraldo Júlio envolvidos na suspeita de desvios com  recursos do SUS para a pandemia. “A decisão é um grande passo no sentido de punir os culpados por esses desvios. Que, aliás, não foram localizados. Foram generalizados e com o mesmo modus operandi”, afirmou.


 Mendonça lembrou que, além da denúncia dos respiradores feita por ele, várias outras foram apresentadas aos órgãos de fiscalização e investigação pela deputado Priscila Krause dando conta de compras suspeitas de superfaturamento e quantidades excessivas de materiais hospitalares para tratamento da Covid_19. Ao investigar uma das denúncias de Priscila, o Ministério Público de Contas identificou compra de um item, durante a gestão de Geraldo Júlio, em quantidade tão grande que seriam necessários mais de 700 anos para dar uso do produto. O que virou manchete na imprensa nacional com matéria feita pela rede de televisão CNN Brasil.    A denúncia sobre a compra de 500 ventiladores pulmonares pela Prefeitura do Recife para uso de pacientes com a covid_19 a uma empresa veterinária de São Paulo foi feita por Mendonça exatamente há um ano. Na época, Mendonça entrou com ações junto ao Ministério Público Federal, a CGU, ao TCU, ao TCE e ao Ministério Público Estadual argumentando que seria no mínimo suspeito que a maior aquisição de respiradores pulmonares fosse a uma empresa veterinária pequena, num processo com indícios concretos de práticas de atos ilegais.

Desde então, Mendonça vem acompanhando o desdobramento do caso que resultou em operações da Polícia Federal na sede da Prefeitura do Recife, o parecer da PGR pela manutenção da PF nas investigações, contrariando o pedido da PCR de estadualizar o caso, e tem cobrado do ex-prefeito Geraldo Júlio  explicações para tantas denúncias de desvios e de corrupção durante sua gestão na PCR.

Comentários do Facebook